Comunidade

Comunidade Nossa Senhora de Fátima (Centro Comunitário) Rua Joaquim Pinto Número,250 -Lucília

Origens –O Bairro Lucília, no seu começo, era conhecido como “Buraco da Mandioca”. Posteriormente, foi-lhe dado o nome que tem hoje em homenagem a Dona Maria Lucília Loureiro (Dona Liquinha) , uma das mais antigas moradoras da Rua Virgílio Lima, que atravessa todo o bairro, desembocando na Avenida Antônio Loureiro Sobrinho.


Comunidade de base -A Comunidade de Base Nossa  Senhora de Fátima foi fundada em 1967 e sua primeira reunião foi realizada debaixo de uma árvore com a presença de vários moradores. Contando sempre com a presença animadora do

Padre João Batista Gomes Neto, seus integrantes se reuniam semanalmente. Em uma dessas reuniões, o Padre João nomeou o Sr. João Mota, fervoroso congregado mariano, como presidente da comunidade, formando-se com ele uma primeira diretoria constituída por Joaquim Ângelo (secretário), e outros diretores como Ester, José Jerônimo, Paulo Cardoso, José dos Santos, João Paulo e Dona Inhá. Acredita-se que o grupo, como outros congêneres instalados na Paróquia na mesma época, teve algumas dificuldades, das quais não existem registros. Sabe-se, entretanto, que o grupo se desenvolveu competentemente, a ponto de, alguns anos depois, em agosto de 1978, ter conseguido registrar o Centro Social Lucília, cujo primeiro presidente foi o Sr. Geraldo Alves Pinto.


Inicialmente, o Centro Social Lucília foi um caramanchão. Depois, em seu lugar, ergueu-se um Palanque onde aconteciam atividades diárias, isto é, sempre que o tempo o permitia, devido ao difícil acesso em época de chuvas. Foram instituídos inicialmente um Coral, um Grupo de Reflexão e um Grupo de Jovens. Organizavam-se visitas da imagem de Nossa Senhora às residências, onde se rezava o terço e se refletia um texto bíblico. Com a arrecadação das promoções, a Diretoria comprou um lote, recebendo mais um em doação feita pelo Sr. Antônio Loureiro Sobrinho. A partir daí, a comunidade começou a construção da sede do Centro Social. Todos os anos, no mês de junho, realizavam-se festas juninas. Todos os dias havia a Hora do Ângelus, realizada pelo serviço de som do Centro Social. Ali também se realizavam atividades regulares de Catequese, Grupo de Reflexão, Clube de Mães, Grupos de Jovens e Gincanas Infantis.

Atualmente, participando no Conselho Paroquial, Antônio Carlos Oliveira e Nilton Santos Rosa coordenam as atividades na comunidade através do CPC.

FacebookWhatsAppTwitter