Comunidade

Comunidade Santo Expedito Rua Eta Número: Em frente ao número 111- Cachoerinha

Origens do bairro – Uma jovem deste bairro, Graziele, que é secretária do CPC, baseada em histórias que teria ouvido do Sr. Paulo e Dona Efigênia, antigos moradores e conhecedores da história do lugar, volta a suas origens mais antigas informando que o bairro era inicialmente habitado por dois primos, Clemente Isabel de Souza e Altina Maria de Souza com suas respectivas famílias, moradores, um na parte de baixo e outro na parte de cima da estrada que leva às Pacas. Com eles, o povoado foi crescendo, surgindo primeiro algumas trilhas, que viraram ruas, que, atualmente, vem-se povoando de muitas casas. O bairro, que já se chamou Cachoeirinha e Coelhos de Baixo, agora se chama Nova Cachoeirinha.


A assistência religiosa era buscada primeiro em São Gonçalo e, mais recentemente, em Santa Rita de Pacas, quando aquela comunidade passou a ter um maior atendimento da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição. Mas o interesse da comunidade era mesmo poder celebrar no próprio Bairro, pois ir às Pacas era um pouco complicado em determinados horários. Instado pela comunidade, Padre Aloísio permitiu que, em 2002, o seminarista Flávio fizesse celebrações para o povo, geralmente na casa de Davi e Dorinha, indo ele mesmo celebrar lá algumas vezes. Numa dessas celebrações, escolheu-se o nome do patrono do Bairro: Santo Expedito. Por esse tempo já funcionava um pequeno grupo de catequese e a novena da Sagrada Face.


Nasce a comunidade – No entanto, a consciência de comunidade nasceu quando todos sentiram a necessidade de um espaço comum onde todos pudessem tratar dos assuntos de interesse da comunidade. Afinal, a gente só percebe que não está sozinho no mundo quando sentimos que precisamos uns dos outros para crescer e promover nosso bem estar. De acordo com o costume, todas as vezes que a comunidade precisava de se reunir, por exemplo, quando havia missa ou se deveria tratar de algum assunto relevante, nós nos encontrávamos em casa de um dos membros. Com o passar do tempo um amigo nos deu a idéia de construirmos um espaço para tratar desses assuntos. Foi aí que, juntos, decidimos construir o Centro Comunitário.


Para essa consciência muito contribuiu a participação do Grupo Quietude, da Pastoral Familiar da Paróquia, enviado em missão, para ajudar a comunidade de Santo Expedito. Foi então que a Dona Maria do Zé da Cruz fez a doação do terreno para a construção de uma Igreja, que foi iniciada em 2005. Começamos, então, a fazer festas com a intenção de angariar fundos para a construção. As primeiras festas aconteceram nas casas onde, anteriormente, eram realizadas as missas e demais eventos, como reuniões e aulas de catecismo. A partir de 2006, a comunidade passou a ter missa mensal, geralmente no 4º domingo do mês. Numa dessas ocasiões, Padre Marcos nomeou uma equipe para coordenar a comunidade: Aloísio Martins (presidente), sua esposa Eliane (vice) e Vicente  Severino (tesoureiro) Foram celebradas as festas de Santo Expedito em 2007 e 2008. Nesse mesmo ano, as missas passaram a ser celebradas na nova sede: a primeira missa foi celebrada em 21 de março de 2008. Em janeiro de 2009, houve troca de diretoria: agora a coordenadora é Dalva, que é auxiliada por Luciene (tesoureira) e Graziele (secretária).Como Centro Comunitário,em construção as festas passam a ser feitas no próprio local. Tudo isso aconteceu com o apoio da comunidade, amigos e patrocinadores, aos quais deixamos nossos sinceros agradecimentos.


FacebookWhatsAppTwitter