Comunidade

Comunidade São Miguel Arcanjo Rua Santa Cruz, 152 - Nova Esperança

Foi lá pelo ano de 1987, sendo pároco o Padre Antônio Alves de Carvalho, que tudo começou: o padre celebrava uma vez por mês e a paróquia enviava catequistas para iniciar um trabalho no salão do Centro Comunitário existente na Rua 1. O povo, entretanto, não comparecia dando desculpas sem sentido: “eram visitas, o horário, a distância, o dia, o frio, o calor”, tudo para não participar. O Padre sugeriu uma mudança: em vez de celebração, reflexão nas casas, e enviou o jovem Wanderlei que estava se preparando para o seminário. Lançada a semente, o Espírito a conduziu: essas reuniões fizeram o despertar da comunidade através da reflexão bíblica seguida de gesto concreto a cada semana. Também um sinal do despertar da comunidade se verificou na contribuição do dízimo, serviço coordenado pela Eloísa.


Em pouco tempo a comunidade se articulou para solicitar melhorias para o bairro: iam à Prefeitura, à Câmara, ao DAE, ao DVO, à rádio, à empresa de ônibus para reivindicar calçamento, transporte, rede de esgoto, iluminação, canalização de córrego e abertura de ruas para o bairro. Foi um tempo bom, de conquistas, pois, com o grupo unido, tudo se alcançava.


Por esse tempo, um trabalho de teatro com jovens manteve a coesão do grupo enquanto havia contato com a paróquia, mas, depois de certo tempo, o grupo se acabou, embora ainda atuasse algumas vezes encenando com crianças a Via-Sacra.


No entanto, a partir de 1990, com os Padres Sebastião Acácio e Renato Cruz, retomaram-se as celebrações e, com entusiasmo renovado, surgiu a idéia de se construir uma igreja, interesse que aglutinou novamente a comunidade. O Sr. Olímpio dos Santos Milano, que já havia doado um lote para a Paróquia, doou um segundo lote, havendo a área necessária para a construção.Alguns passos importantes foram dados:


1. A formação do Conselho Pastoral Comunitário, ocorrida no dia 5 de abril de 1991, tendo o Carlos Cesário Milano, como Coordenador, e o Belquíades José da Cruz, como Vice.

2. A construção de uma cozinha, dois banheiros, um salão aberto para celebrações e um quarto, onde funciona, desde 1994, a Capela do Santíssimo.

3. A implantação da Catequese no bairro e a criação da Pastoral do Batismo e da

Crisma (1992)

4. A escolha do padroeiro São Miguel, numa missa celebrada por Padre Renato e com a  presença do Conselho Pastoral. (1992)

5. A primeira festa junina para angariar recursos para a igreja e a primeira novena e festa do Padroeiro São Miguel, com um destaque para o casal Fátima e Edinho que atuaram como tesoureiros. (1993)


A partir de 1994, com a comunidade mais estruturada, a caminhada, embora enfrentando alguns obstáculos, prosseguiu vitoriosa. Estávamos com o alicerce da igreja pronto, a Capelinha do Santíssimo prestes a ser inaugurada. Com o tempo, aumentaram as contribuições dos carnês, as coletas das celebrações, a doação de materiais e a participação nas festas. Foram, então, levantadas as paredes. Um exemplo que marcou a comunidade foi o do casal Creuza e Eustáquio Gandra: além de participar na administração, ofereceram para a construção tijolos fabricados em seu próprio terreiro. No campo administrativo, a participação de Marli Monteiro, que também atuou como tesoureira.


O Conselho Pastoral teve sua diretoria renovada regularmente: José Teodoro e José Filipe Silva (1994); Carlos Cesário Milano e Maria de Lourdes Carlos (1999); Marcelo Freitas Oliveira e Maria Paixão Coura (2001); Carlos Cesário Milano e Andréia Aparecida de Jesus Costa (2004); Carlos Cesário Milano e José da Conceição Avelino (2006); Maria das Graças Zunzarren e Sadi Inácio da Cruz (2008).


Os Padres Jorge, Taumaturgo, Aloísio e Marcos continuaram dando a  a t e n d i m e n t o   n e c e s s á r i o e , esporadicamente, a ajuda solicitada. Assim a Igreja de São Miguel recebeu telhado, as paredes receberam reboco e janelas. A Prefeitura doou os vidros para as janelas. Recentemente foi construído o altar, e a Igreja recebeu o piso. Foram compradas as imagens dos Anjos Miguel, Gabriel e Rafael. A comunidade conta também, desde 2005, com seu próprio Coral, o Coral São Miguel. Em suma, tendo a comunidade conquistado tantas coisas, a melhor delas é que o povo caminha mais consciente nas estradas do Reino de Deus.

FacebookWhatsAppTwitter