EVANGELIZAR EM JOÃO MONLEVADE CADA VEZ MAIS URBANO

23 de janeiro de 2020

As novas Diretrizes Gerais da Igreja no país são sustentadas por quatro pilares: a Palavra, que aprofunda a iniciação à vida cristã e bíblica, bem como a ideia de ter comunidades fundadas em torno da palavra; o Pão, que contempla a liturgia e a busca por viver a espiritualidade rumo à santidade tal, como defende o Papa Francisco; a Caridade, que aponta a necessidade das comunidades se preocuparem com os que mais sofrem e a defesa da vida em todos os sentidos; a Missão, a exemplo do que pede o Papa, no sentido de que a comunidade se realiza quando ela sai em missão e vai ao encontro das periferias existenciais. Diante dessas propostas, o encontro dos membros da Igreja na Diocese de Itabira – Cel. Fabriciano vem buscando refletir essas ideias para que nossa Assembleia Diocesana aponte caminhos concretos para o nosso Plano Pastoral.

A realidade urbana, fragmentada, carregada de luz e de sombras, mas também cheia de potencialidades, é definida muito mais do que um lugar social geográfico mas como uma mentalidade e cultura. Nesta realidade a Igreja é convidada a ser presença. Como casa. Como comunidade eclesial missionária. As diretrizes, apontam para um rumo muito bonito, porque partem de uma perspectiva de encontro com Deus e com os irmãos, numa dinâmica de acolhida, de portas abertas, de ir ao encontro, de espera e acolhida ativa para formar as comunidades na base.

Todos reconhecemos o predomínio da cultura urbana. Podemos mesmo dizer que o modo de viver na grande cidade também está presente nos vilarejos e na zona rural. E o evangelho sabe dialogar com a cidade, sabe levar alegria ao seu coração. Afinal, o evangelho humaniza os relacionamentos e, a partir deles, aquece os ambientes, inclui quem corre o risco de ficar do lado de fora, na “não existência” em meio à multidão.

A força renovadora da vida eclesial é a missão. Mas a base da missão urbana são as pequenas comunidades. Nas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora elas são designadas Comunidades Eclesiais Missionárias, uma expressão de compromisso com a pessoa humana que nelas se integra, vive a fraternidade e, a partir delas, testemunha e anuncia a Boa Nova. Nesta perspectiva a profecia não se dá apenas pela denúncia, embora seja fundamental hoje mais do que nunca, mas também pelo anúncio de um jeito novo de ser e de viver. Os rumos são os mais bonitos, basta a gente entrar nesta história e caminho. Seguir este caminho, é acreditar no projeto e proposta. Vamos todos precisar, fazer um caminho de conversão, ler estudar, colocar na mente e descer para o coração para transformar em realidade.

A todos Paroquianos um feliz Ano Novo repleto de realizações e sonhos!

Padre Geraldo Reis, Padre Marco José e Seminarista Robson Afonso

FacebookWhatsAppTwitter