SOBRE OS REFLEXOS DA SEGUNDA SEMANA EUCARÍSTICA

16 de julho de 2019

A Eucaristia nos compromete a vivermos o amor (1Cor 13, 1-8). Comungar é ter “os mesmos sentimentos de Jesus” (Fl 2,5), ou seja, é deixar que em nós, o “homem velho” – corrompido pelo pecado, vá aos poucos, dando lugar ao “homem novo” que é Jesus até que “já não sejamos nós a viver, mas Cristo em nós” (Gl 2,20). A comunhão eucarística vai construindo em nós este homem novo se soubermos acolher com fé em nosso coração a graça da participação na Eucaristia. É neste clima que celebramos a Segunda Semana Eucarística de 13 a 20 de junho com o tema: Eucaristia, alimento dos batizados e enviados para a vida no mundo! E o lema: “Eu sou Pão Vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá eternamente.” (Jo 6,51)

Conforme nos apresenta o Documento de Aparecida: “Os fiéis devem viver sua fé na centralidade do mistério pascal de Cristo através da Eucaristia, de maneira que toda a sua vida seja cada vez mais vida eucarística. A eucaristia, fonte inesgotável da vocação cristã é, ao mesmo tempo, fonte inextinguível do impulso missionário (D. A.p 251). “Sem uma participação ativa na celebração eucarística dominical e nas festas de preceito, não existirá um discípulo missionário maduro” (D. A.p 252). Que esta semana tenha sido para todos que dela participaram um momento oportuno de aprofundamento e fortalecimento no Mistério Pascal tornando o centro de João Monlevade trono da Eucaristia.

O testemunho de tantos irmãos/as nos ensina que é nas celebrações e longas horas de adoração diante de Cristo no Corpo entregue e no seu Sangue derramado que se adquire a força para confiar em Deus, para resistir às tentações e para dedicar-se com heroísmo ao próximo nos claustros contemplativos e no atendimento incansável dos que passam por necessidades físicas e espirituais. Que a beleza e riqueza de tão grande mistério divino tenham enchido os nossos corações da doçura e ternura do amor de Deus revelado no mesmíssimo mistério.

A partir desta realidade transformadora de Cristo Eucarístico em nós, que podemos ter forças para trabalhar e nos empenhar no compromisso da construção do Reino de Deus, que é uma sociedade justa e fraterna. Sem o fundamento da Eucaristia nos perdemos da direção do Reino e da sua dimensão que nos ultrapassa, com a Eucaristia ela continua renascendo e fortalecendo-nos a cada dia. Louvemos a Deus por todos os que, de modo simples e despretensioso, se alimentaram, alimentam da Eucaristia e se empenham a cada dia em dar de si para o bem dos irmãos. Sendo assim cumprimos, com alegria, o mandamento da caridade que nasce do Coração de Cristo rasgado do alto da Cruz.

Um grande abraço fraterno:

Padre Geraldo Reis, Padre Marco José e Seminarista Robson Afonso

FacebookWhatsAppTwitter